sábado, 1 de outubro de 2011

O Diário de Vasily - O procurado numero 7 - Josef Mengele

São Paulo 16 de dezembro de 1969

Bom dia minha cara mãe.

Estou na cidade da América do Sul chamada São Paulo, cheguei a cinco meses. Peço desculpas por não ter escrito nenhuma carta, mas não pude de forma nenhuma, escrever nenhum tipo de correspondência, pois fui proibido pelo primeiro comando para não deixar vestígios de minha estada neste país , pelo menos até a conclusão de minha missão.

 Pergunto agora como estão as coisas ai em Kiev ? aqui faz um calor insuportável , meu coração borbulha de saudade, e daqui a mais ou menos dois meses estarei em sua companhia e também da minha amada Karin.

Nossa estadia no Brasil  tem rendido bons frutos, conseguimos seguir as pistas corretas e chegamos a uma cidade chamada Bertioga, que tem um mar deslumbrante. Chegamos a conclusão que essa mesma cidade é a que abrigava o professor médico Josef Mengele , um dos mais procurados fugitivos do tribunal de Nuremberg, alvo numero 7, uma das prioridades da ordem da estrela vermelha. 

Apesar de uma identidade falsa, e de ter um certo respaldo das autoridades brasileiras, achamos sua cabana , em um bairro chamado Pirai, onde em um cerco de apenas um homem, eu Vasily Zaitsev pude com sucesso encontrar este criminoso.

Eu o segui em sua rotina diária, fazia parte do processo estudar seus passos, e  ao seu lado sempre pairava a figura de um segurança pessoal chamado Carlos, que segundo as informações passadas, também era um assassino perigoso. Eu tinha de me livrar dele primeiro para chegar até Josef.

Esperei o momento de sua partida, uma terça feira onde Carlos saia para comprar os mantimentos que comiam na pequena cabana. Pensei em rende-lo nesse intervalo de tempo, pensando se poderia imobilizá-lo sem o matar, mas graças a sua força física, acabei tendo problemas, que levaram a sua morte.

Minha missão é matar os 8 procurados, porém acidentes acontecem, e prestar serviço para quem ja foi do terceiro Reich tem seus riscos, tenho certeza que ele sabia disso, e também não senti tanto remorso, pois havia muitas mortes na sua conta.

Todos os assassinos sabem que não morrerão de forma natural, e isso é uma regra entre nós.
Finalmente entrei na cabana e lá estava o assassino de mais de 100.000 judeus e polacos.

Ao me ver, abaixou sua cabeça em um gesto de submissão a morte iminente e não reagiu.  Sua idade avançada não permitiria que me enfrentasse .
Disse a ele que me acompanhasse até o rio próximo a cabana, e o mesmo foi sem hesitar e sem chamar a atenção, o que me era conveniente.
 Ao chegar, perguntei a ele se sentia algum tipo de remorso, de ter o sangue de tantos homens inocentes em seu jaleco de médico, mas o mesmo ainda sorriu antes de morrer e me disse com certo desdém:

- Não me arrependo de nada, a natureza seleciona os melhores, e o homem deve continuar o processo, matei muitas pessoas sim, mas eram judeus, e não me importo de verdade com este tipo de vida, que me serviu de boa utilidade nestes experimentos, então se veio logo me matar, porque não termina seu serviço, em vez de fazer questionamentos morais.

Então eu lhe disse:

 - Eu não vim para matar você.

E seus olhos brilharam, e ele pode ter um pouco de esperança.
Neste momento peguei sua cabeça e o afoguei no rio, era conveniente porque o barulho era abafado pela água, assim não precisaria dar um tiro, o que chamaria muito mais a atenção.
Quando quase desfalecia, eu o levantava e o deixava respirar, e assim quando restabelecido o afogava de novo. Fiquei com ele neste processo durante uma hora e vinte cinco minutos, até que finalmente antes de afogá-lo pela ultima vez eu lhe disse:

- Você tinha razão... eu realmente vim para te matar.

E o afoguei até que parasse de se mover. Depois o levei até o mar na encosta, pensei em enterrar seu corpo em um campo próximo, para que não houvesse a mínima suspeita de nossos movimentos no local. Mas chamaria muito a atenção e a ordem era descrição.

Hoje de Manhã ao abrir uma correspondência, recebi a estrela pentagonal esmaltada, a maior das condecorações que me permite uma pensão vitalícia ao voltar à amada União Soviética.
 Pelas recomendações, existe orgulho nos meus camaradas .

Mãe eu lhe digo de todo coração, nós varreremos da face da terra todo e qualquer vestígio do nazismo, nós seguiremos e todos os culpados serão punidos, eu lhe dou minha palavra.

Estou agora em um terminal de ônibus, e sigo para Foz do Iguaçu e de lá para Buenos Aires, onde encontrarei o último dos procurados fugitivos, Heindell.

Acabei de ouvir o chamado para embarcar,  e me despeço aqui, trazendo meus sinceros carinhos, que em breve espero lhe fazer pessoalmente, minha querida e amada progenitora.

Comprimente meus irmãos por mim, logo estarei de volta.
um beijo carinhoso de seu filho:



Vasily.

Viva a vitoriosa URSS!






41 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este conto é puramente ficcional e os fatos aqui relatados, não procedem com a história original da estada do médico no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Passei para lhe desejar um ótimo fim de semana
    Bjux

    ResponderExcluir
  4. Não sou fã da URSS e seu modelo politico mas tenho que admitir que eles foram muito ousados mas a sua revolução não gerou frutos para o futuro

    ResponderExcluir
  5. mui bacana...vc leva jeito para a arte de ecsrever..

    Prceria
    http://eitapreulacampina.blogspot.com/

    ou twitter:
    @jefferson_wayne

    ResponderExcluir
  6. Exelente o texto mtoo bem escrito vlw

    ResponderExcluir
  7. Quando li achei estranho o relato, pois como sou um estudioso da Segunda Guerra (tenho inúmeros livros, filmes, documentários em casa), me lembro de ter lido que só acharam os restos mortais anos depois, e que realmente ele passou por aqui, mas não duvido nada que, se esse conto não fosse ficção, ele teria tido a mesma postura arrogante e maligna em não ter se arrependido, realmente foi um animal, um monstro do qual não deveria ter existido.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  8. Pior do nazismo é ter gente que ainda tem admiração por ele.
    isso é que é de perder a fé na humanidade.

    ResponderExcluir
  9. Ei Von, puxa meu amigo! Que texto legal e bem escrito!
    Hahahahahhahaha dá enredo pra um conto aí hein!

    ResponderExcluir
  10. Olha, costumo dizer que pouquíssimas pessoas me surpreendem quando escrevem algo, salvo os grandes e renomados escritores que gosto de ler e reler, gosto não, adoro. Principalmente quando o assunto em questão são o que as pessoas escrevem em seus blogs, e você caro Victor tem me surpreendido e muito com suas postagens. Diante disso só tenho mais uma ou duas palavras a dizer: adorei seu texto, você tem o dom para escrever. Parabéns! ótimo final de semana para você!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Foi uma narração bem interessante. Gosto dessas histórias que criam ficções com personagens reais.
    URSS teve a sua importância contra o nazismo, mas foi vítima de sua própria política.

    Eu é que devo lhe agredecer pelas visitas e comentários pertinentes de sempre.
    Até breve!

    ResponderExcluir
  12. Muito bom o seu conto. Fiquei aqui imaginando qual seria o sentimento e a reação de uma mãe ao ler carta de um filho com este conteúdo que você narra.

    Seu blog é ótimo!

    ResponderExcluir
  13. Victor, my angel!
    Meu amigo, em minha opinião, este foi teu melhor texto..., por quê? Por que você não entregou tudo "explicadinho" se é que dá para me entender, existe um sub texto necessário em contos.
    Além de bem-escrito, cria essa atmosfera fictícia de uma realidade possível, em cima de fatos que poderiam, enfim serem reais. E a tal da arrogância, que me parece, sim, muito real.

    Parabéns, amigo!

    Obrigada pelo comentário no blog da Ma Ferreira e a consideração lá no meu. Espero que esteja tudo melhor contigo. Está?

    Te cuida! Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Como o Angelus comentou, Victor, é bastante interessante você optar pela ficção histórica, área difícil. Só não gosto do tema de assassinato. Sou partidária de que não se deve matar nem nazista, até para que não nos igualemos a eles... Correçõezinhas a serem feitas: "polacos" (não tem acento, pois não se pronuncia a palavra como proparoxítona) e "iminente" (que significa "próxima", "que está por vir"). Beijos e sucesso!

    ResponderExcluir
  15. Impressionante sua narrativa, me arrepiou! Muito bom ler-te, mas muito melhor é saber que vc está se recuperando, lutando e pode ter certeza em uma promessa de felicidade. Beijos no coração deste lindo amigo!

    ResponderExcluir
  16. Ja fiz as correçoes Fernanda...muito obrigado !

    ResponderExcluir
  17. Não sou fã de mortes, pessoas matando por ai digamos assim "atoa". Particularmente acho que omente Deus pode tirar a vida e da-lá as pessoas. Mas o texto está excelente bem narrado, explicando as coisas certinho, está ótimo como sempre.

    ResponderExcluir
  18. Boa história

    depois me conta qual foi a inspiração

    ResponderExcluir
  19. Olá,
    Parabéns pelo blog! Estou seguindo.
    Segue lá também..

    http://estanteseletiva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Oi Ma!
    Ah eu sabia que vc votaria no Papo-Furado! Eu sempre pensei que essa sessão era pouco atraente para o pessoal do blog..ainda bem que eu estava enganada! Ah e brigada pelo comentário que deixou no blog do Sandro! Adorei!

    Ah gostei do seu texto. Conhçeo Mengele...existe até um livro ficcional chamado Os Meninos do Brasil que aborda ele como grande vilão na trama...
    É fato que ele foi um dos principais cientistas nazistas mas não o único. O que me surpreende foi o cara ter saído impune, fugindo para o Brasil e vivendo muito bem por aqui até a sua morte. Já ouvi que ele morreu afogado (ou teria sido morto?) mas também que apenas recentemente encontraram seus restos mortais...

    bjs

    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Caraca meu, escreve um livro, sério!
    O texto me acrescentou bastante, informações boas aí.

    Bjo
    http://sverbal.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. MUITO BOM O CONTO. TENHO QUE ADMITIR QUE NEM EU ESCREVERIA UM TEXTO DESSES. CARAMBA!

    PASSA LÁ NO MEU BLOG DEPOIS.
    http://odiariodejacksteps.blogspot.com/2011/10/um-sonho-revelador.html

    ResponderExcluir
  23. Um texto envolvente e rico.Adorei,Von!
    Mas fiquei muito chateada ao ler no comments que deixou no Paulo a respeito de não me conhecer...rsrs
    E eu te sigo a um tempão,e vc ja esteve no meu blog deixando comments.Viu como tenho razão quando digo lá na entrevista que não é facil seguir tds os blogs de nossa lista?Vc me provou que até podemos esquecer quem nos segue,ou seguimos...rsrs
    Mas brincadeiras a parte,passei para agradecer por vc ter ido lá e lido a entrevista e te desejar uma ótima semana.
    Ah,e se não me engano ja te convidei para participar de um Ping Pong,mas acho que vc não quis,pois não me respondeu.
    Bjkas

    ResponderExcluir
  24. Victor o realismo com que descreve toda narrativa desse texto impressiona pelo grau de realidade que parece se conter, apesar de ser ficção. É de um grande talento fazer um texto dessa maneira. Parabéns de verdade.

    ResponderExcluir
  25. Sinceridade, gostei muito do texto, já coloquei o Blog em meus favoritos para continuar lendo posteriormente... Seu relato é claro e você não caiu em nenhuma das armadilhas que já estavam armadas para ti... Parabéns pelo Blog!
    .
    Já faz algum tempo que não escrevo nada do tipo, mas eu também gosto muito deste tipo de ficção... Estou lhe seguindo!
    .
    http://sublimeirrealidade.blogspot.com/2011/10/piratas-do-caribe-navegando-em-aguas.html
    .
    http://www.facebook.com/pages/SUBLIME-IRREALIDADE/143364145738330

    ResponderExcluir
  26. Ótimo contoo!!! JÁ sigo vs a algum tempo! Dá uma passadinha lá e segue tbm.. =D

    http://echidellanima.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  27. Oi,Von,te enviei pelo face,fiquei contente por aceitar.Bjka

    ResponderExcluir
  28. Em muitas partes o texto me parece bastante real, esse tipo de narração em primeira pessoa e o tipo de texto, nesse caso uma carta, é um recurso maravilhoso!
    O contexto histórico contido no texto também é ótimo.

    ResponderExcluir
  29. Obrigada por seguir-me, volte sempre e seja sempre bem vindo.

    Abçs!

    ResponderExcluir
  30. Victor, independente de ser ficção,essa crônica é uma maravilha literária. Só quem é virtuose que consegue escrever com tamanho realismo pelo detalhamento.
    Gostaria que fosse verdade pela asserção de ter varrido da face da Terra todo vestígio nazista.

    Quero lhe agradecer pela visita, comentário inteligente e gentil no meu link.
    Também quero lhe parabenizar pela seriedade e ecletismo das postagens, sobretudo a preocupação gramatical.

    Também sigo essa emoção.

    Abraços do novo amigo!

    ResponderExcluir
  31. Que viagem... derruba logo o muro de Berlim, mano.

    Olha eu aqui na Oriental!

    Bj!

    F.

    ResponderExcluir
  32. Impressionante a narrativa, apesar de não concordar com a nossa própria 'justiça'.
    Belíssima tarde!

    ResponderExcluir
  33. Awnnnn, amei seu blog.
    Muito legal.
    Já estou seguindo.

    Segue o meu?

    http://blogmuitofofodaaline.blogspot.com

    ResponderExcluir
  34. Um belo e completo texto que li sem passar marcha, em grande viagem. Vou seguir pra voltar muitas outras vezes. Vem conhecer meu bloguito rs, e siga se gostar. Bjs!
    Smareis

    ResponderExcluir
  35. TIVE QUE VIR AQUI E CONFERIR COM MEUS PRÓPIROS OLHOS ESSE SEU TEXTO VICTOR. PERFEITO! SE NÃO FOSSE UM CONTO, EU DIRIA QUE ELE REALMENTE ACONTECEU DE VERDADE.
    PASSA LÁ:
    http://thebigdogtales.blogspot.com/2011/10/profecia.html

    ResponderExcluir
  36. O que eue entendo,é que a coisa vai muito além da guerra,parece que o personagem tem uma questão pessoal complexa,como se essa fosse a sua guerra pessoal...até os detalhes que coloca na carta,parecem querer viver de novo aquilo,perpetuar a própria marca...
    O mundo já tem violência demais,as pessoas já estão com muitas idéias...por isso,prefiro pensar por um prisma diferente,pensar que o moço busca por paz,e que aunica forma de obter isso,é a guerra :(

    ResponderExcluir
  37. Para mim,não importa se é merecido,mas matar um assassino te torna outro,o que te torna igualável ao primeiro. http://resenhasaleatorias.wordpress.com/ -

    ResponderExcluir
  38. oie amei seu blog..amei os texto tmb vc ta de parabens..ah vai la no meu blog da uma olhadinha se gosta e querer seguir fica avontade..depois eu retribuo ok bjss
    http://wanessasonhoseconquistas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  39. Dava até uma campanha de RPG !

    ResponderExcluir

Faça um comentario inteligente e pertinente, lembre-se que seu nome, e o nome do seu blog, vem logo depois !